DIOCESE DE
CAMPO MAIOR

/
/
Com muita alegria, a Diocese de São Raimundo Nonato recebe Dom Eduardo como seu novo bispo

Com muita alegria, a Diocese de São Raimundo Nonato recebe Dom Eduardo como seu novo bispo

dom-eduardo-posse-saoraimundo-2016

Nomeado há um mês pelo Papa Francisco, Dom Eduardo Zielski, tomou posse na noite do sábado (02/04/2016), como novo bispo da Diocese de São Raimundo Nonato – PI.

Às 09:00h o referido bispo foi acolhido pela comunidade de São Raimundo Nonato em frente o Posto Nossa Senhora Aparecida de onde seguiram em carreata até a Igreja Catedral.

Desde a sua chegada à cidade, e durante toda tarde, o tempo de Dom Eduardo foi preenchido pelas muitas visitas que recebeu de seus ex-diocesanos, e saudações de boas vindas realizadas pelo povo de sua nova diocese.

A Celebração Eucarística de acolhida e posse canônica teve início às 18:00h na Praça da Igreja Matriz, presidida por Dom Eduardo Zielski, e concelebrada por Dom Jacinto Furtado da Silva Sobrinho, Arcebispo de Teresina; Dom Pedro Brito Guimarães, Arcebispo de Palmas Tocantins; Dom Cândido Lorenzo González, Bispo Emérito de São Raimundo Nonato; Dom Alfredo Schaffler, Bispo de Parnaíba; Dom Juarez Sousa da Silva, Bispo Coadjutor de Parnaíba; Dom Plínio José Luz da Silva, Bispo de Picos; Dom Augusto Alves da Rocha, Bispo Emérito de Floriano; Dom Ramon Lopes da Rosa, Bispo Emérito de Bom Jesus do Gurguéia; Dom João Coute, Bispo de Zé Doca; Dom Romualdo Matias, Bispo de Porto Nacional; Dom Magno Henriques Lopes, Bispo de Salgueiro; Monsenhor Thomas Grisa, encarregados de negócios da Nunciatura Apostólica no Brasil; bem como sacerdotes da diocese de São Raimundo Nonato e de outras dioceses.

Logo no início da solenidade, o bispo coadjutor de Parnaíba e ex-administrador apostólico da diocese de São Raimundo Nonato, em seu período de vacância, Dom Juarez Sousa, deu as boas vindas a Dom Eduardo enfatizando: “Pode entrar, seja bem vindo Dom Eduardo, aqui o senhor encontra um povo de alma missionária, o berço do homem americano já sinaliza as inscrições rupestres de nossos ancestrais, gravadas nas lapides dos sítios arqueológicos as crenças de que, para além do imanente existe o transcendente, e, de que, a vida vai para além da morte”.

Durante a cerimônia, o secretário da Nunciatura Apostólica no Brasil, Monsenhor Thomas Grisa, fez a apresentação e leitura da Bula do Papa Francisco pela qual nomeou dom Eduardo Zielski, bispo da Diocese de São Raimundo Nonato.

Dom Eduardo recebeu das mãos de Dom Jacinto o báculo, símbolo do serviço pastoral e cuidado de todo o rebanho do qual o Espírito Santo constitui bispo a fim de apascentar a Igreja de Deus, momento que marca o revestimento como novo bispo diocesano.

Na homilia, dom Eduardo falou da importância do domingo da misericórdia, relembrou a morte do grande arauto da misericórdia, o Papa João Paulo II, do seu lema episcopal e sacerdotal. Disse: “Hoje, estou aqui diante de vocês para começar os meus novos serviços, talvez do Pai… O meu lema episcopal é a sola misericórdia, somente misericórdia, é a última tábua da salvação”. O bispo empossado, falou sobre o pão como lema sacerdotal, “O pão é algo que simboliza tudo, insubstituível para sustentar a vida… O pão sempre é pão. Ele não muda conforme o paladar. O mesmo acontece com a fé. A fé é a mesma para todos. A fé não pode ser manipulada, conforme o paladar. Apresenta-se para ser recebida e não muda conforme ao consumisse. O pão recebido precisa ser assegurado. O mesmo acontece com a fé”. Acrescentou “Durante esse tempo do meu sacerdócio faço possível para não somente pregar, mas também cuidar para que a fé seja assimilada, através de retiro, principalmente para os jovens, através de cursos e novenas”.

Por fim, dom Eduardo Zielski, expressou-se para o povo da diocese de Campo Maior – PI, “Quero expressar de maneira especial para padres, religiosas, leigos e demais que chegaram aqui da diocese de Campo Maior. Queria expressar a minha gratidão. Em 16 anos e passados alguns meses, eu estava com vocês e vocês comigo. Eu tentei colaborar com vocês nesse tempo que acabei de falar e vocês tentaram colaborar comigo, tanto padres, religiosas e como leigas. O meu coração teve o sentimento de felicidade pelo tempo que tem me dado para está com vocês. Muito Obrigado! Rezem para que a Igreja Vacante faça o melhor, continuar firme na fé, na caminhada pastoral, na caminhada missionária. Assim, como caminharam comigo e caminha agora no tempo de sede vacante, como também outro que será logo, em seguida, indicado para vocês.” Em seguida, o novo bispo diocesano dirigiu a palavra aos padres, religiosas e leigas da diocese de São Raimundo, “estou chegando com toda abertura para está com vocês. Não me resta muita coisa, pois a aposentadoria de acordo com lei canônica, é com 75 anos. Mas como falei hoje sobre pão, dessa maneira quero continuar com vocês”.

O Pe. Juscelino, representante do clero da diocese de Campo Maior, agradeceu a Dom Eduardo pelos serviços prestados, lembrou das obras feitas pelo bispo e a diocese ficará com saudade de seu bom pastor. O representante do clero da diocese de São Raimundo, Pe. Amadeus Rocha, agradeceu a Dom Juarez – bispo coadjutor de Parnaíba – pela disponibilidade em administrar a diocese em seu período de vacância e deu boas vindas a seu novo bispo diocesano.

O arcebispo de Teresina, Dom Jacinto, demonstrou admiração e agradeceu pela disponibilidade de Dom Juarez em assumir o encargo de administrador apostólico de São Raimundo. Depois, direcionou-se a Dom Eduardo, parafraseando-o sobre o domingo da misericórdia e que juntamente com os irmãos bispos confirmar a comunhão fraternal, dizendo: “Hoje, nós seus irmãos bispos sentimos algo tanto diferente em vários aspectos e, um deles, é que foi transferido dentro da mesma província eclesiástica, como também é uma coincidência o fato de que justamente neste Jubileu da Misericórdia, as vésperas do domingo da divina misericórdia, com seu lema “somente a misericórdia” tenha chegado precisamente nessa diocese. Creio que exatamente com olhos de misericórdia vai contemplar esse rebanho que lhe é confiado. Em nome dos irmãos bispos da nossa província eclesiástica quero confirmar a nossa comunhão fraterna e dizer que é nesse espirito de unidade que somos chamados a preservar, construir ou restaurar quando necessário, o que o senhor Jesus exerce por nosso intermédio. Que o senhor lhe confirme na sua missão, lhe der a graça de poder sempre percorrer os caminhos da misericórdia nesta diocese que lhe é confiada e que nossa senhora das Mercês, a mãe da misericórdia, sempre0ik

Com informações: Diocese de Picos e CNBB NE 4.

Compartilhar: