Da Diocese

Monsenhor Francisco de Assis fala de sua participação no encontro de novos bispos, promovido pela CNBB

Encerra nesta sexta (18), em Brasília-DF, o encontro para novos bispos do Brasil, promovido anualmente pela Comissão para os Ministérios Ordenados e Vida Consagrada da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil). O evento, que já está na 28º edição, reuniu 24 bispos recém-eleitos, entre eles Monsenhor Francisco de Assis, nomeado para a Diocese de Campo Maior.

novos-bispos-encontro-2017-png

A programação contou com várias temáticas, como: Liturgia, Direito Canônico, Administração financeira das dioceses e encontro com o Núncio Apostólico Dom Giovanni D’Aniello.

Segundo Monsenhor Francisco, a participação do episcopado nesses encontros é relevante para a trocas de ideias: “Para nós (bispos) é muito interessante o encontro, por que nós temos a oportunidade de ouvir a experiência de bispos que já tem uma caminhada. O primeiro ofício do bispo é ouvir”, disse.

dom-francisco-de-assis-2017-brasilia-2-png

Dentro de sua avaliação do evento, o futuro bispo de Campo Maior destaca a palestra (14/08) com Dom Paulo de Conto (Diocese de Montenegro): “A palestra foi muito mais um testemunho de vida episcopal. Ele nos deu uma linguagem bem apropriada para o bispo, por que o bispo é pai, é pastor e é aquele que deve está muito próximo do clero e do povo, falando ao coração”.

Outro destaque dado pelo monsenhor foi a palestra proferida pelo padre Nereudo sobre administração financeira, na terça (15). Para ele, as explicações ampliaram a sua visão, fazendo com o ele deixasse de ver a Igreja apenas a partir de uma paróquia: “Essa palestra é um pouco do que já experimentei como padre, mais agora será em uma dimensão maior, como bispo. Juntamente com os padres vamos procurar saber como as coisas estão em nossas paróquias e também como está a transparência no uso dos bens do povo, por que afinal de contas aquilo que chega à cúria, das paróquias, é do povo, a custa de suor e muito trabalho. Eu enxergava a Igreja a partir de uma paróquia, e desde a minha nomeação para bispo de Campo Maior o olhar é outro. É sentir a Igreja a partir de uma diocese, com coração de pastor”.

Na quarta (16), os bispos eleitos tiveram a oportunidade de visitar a Nunciatura Apostólica e se reunir com o Núncio Dom Giovanni D’Aniello. Essa foi a primeira vez que Monsenhor Francisco conversou pessoalmente com o Embaixador da Santa Sé no Brasil: “Dom Giovanni nos acolheu e colocou o episcopado como uma missão dada por Deus e um serviço ao Clero, ao Povo e à Igreja. Ele disse que o bispo deve ouvir e tomar decisões pelo bem do povo”. Os bispos ainda visitaram a Catedral de Brasília, o Congresso Nacional e conversaram com o Presidente da CNBB, Dom Sérgio da Rocha.

dom-francisco-de-assis-2017-brasilia-png

Na quinta (17) houve palestra sobre liturgia com Dom Edmar Perón, da Diocese de Paranaguá, e conversa com o secretariado da CNBB, com a presença dos assessores.

Monsenhor Francisco de Assis avalia o encontro dos novos bispos como positivo e nos disse que sairá de Brasília com um olhar diferenciado das realidades da Igreja: “Este meu novo olhar ganhou importância muito grande a partir deste encontro para novos bispos. Graças à temática e os assuntos. Cada um de nós sai daqui com essa consciência de que temos a nossa frente um grande trabalho a realizar. Essa realidade já cai no meu coração e transforma minha vida. Continuem em orações por mim, pois preciso delas para que cada vez mais seja conformada sobre mim a vocação e o chamado que Deus me fez para o episcopado, e assim corresponder com muita generosidade e amor a esta honrosa  e belíssima missão. Deus vos abençoe!”.

Reportagem: Helder Felipe – Assessoria de Comunicação Diocesana de Campo Maior

Adicionar Comentário

Clique aqui para deixar um comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fans que Curtem

Social Media