Da Diocese

Direto da Itália, Padre de Campo Maior dá entrevista sobre a pandemia do Coronavírus na Europa

O padre campomaiorense Francisco Luís Fonseca Moura esteve na manhã desta sexta (20) concedendo entrevista via internet diretamente de Roma, na Itália, para o Jornal Regional 1ª Edição da Rádio Meio Norte FM de Campo Maior, apresentado por Helder Felipe. A entrevista tratou sobre a situação da pandemia do Coronavírus em toda a Europa, e também especificadamente sobre a Itália, um dos países mais atingidos.

Segundo ele, nas últimas duas semanas houveram muitas mudanças no cotidiano: “A vida teve que se organizar, por que de uma vida muito frenética e agitada, tivemos que organizar toda a nossa vida. Se parou todos os estabelecimentos, exceto farmácias e supermercados. […] Além de estar em casa, manter a distância um do outro, sempre lavar as mãos, evitar estar em locais com grande fluxo de pessoas”, disse.

padre-luis-roma-2020

Quando perguntado sobre a atitude do Papa Francisco em fechar a praça e a Basílica de São Pedro, no Vaticano, o Padre Luís Francisco disse que a Igreja Católica no mundo está agindo com prudência e de acordo com as autoridades sanitárias: “Isso é algo muito prudente, por que a Igreja colabora e ajuda na vida das pessoas, e este testemunho (da Igreja), pode muito colaborar com a saúde das pessoas neste momento tão delicado. Os padres tem ajudado seus fiéis através das redes sociais, para reabastecer a vida espiritual. […] Sobre estar em casa, é algo que os italianos e todos nós, estrangeiros, levamos muito a sério. Por que, se temos que sair de casa, temos que fazer uma autodeclaração. Você tem que dizer para onde vai, o que vai fazer e que horas volta. […] A polícia está completamente controlando toda essa situação, para que toda a Itália possa saber como lidar com o Coronavírus”, afirma.

O sacerdote campomaiorense finalizou a entrevista falando que até o momento a alimentação não faltou e que este é um tempo de colaborarmos com os governantes: “Eu moro em um colégio chamado ‘Pio Brasileiro’, onde se hospedam todos os padres do Brasil que vem estudar em Roma, para ajudar nas dioceses do Brasil. Nós somos 70 padres e já estamos a 15 dias confinados. A alimentação não falta. São entregues em nossas casas por que não podemos sair. […] É um tempo que exige de nós uma reflexão profunda. Não adianta desespero. É um tempo para nós colaborarmos com as autoridades que nos governam estão propondo. […] Quem é católico (deve) cuidar cada vez mais da dimensão espiritual, para que tudo isso não venha a afetar a sua vida interior, para que de cabeça erguida possamos enfrentar com todo ânimo esta situação. E você irmão que é de outra religião, se una em oração ao próprio Deus, o Deus que é da vida, que vai nos ajudar e nos dar bons dias”, disse.

Assista a entrevista completa, a partir dos 33 minutos:

Adicionar Comentário

Clique aqui para deixar um comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *