Da Diocese

Diocese de Campo Maior reabre Seminário Dom Abel Alonso Nuñez com missa, procissão e benção solene

Foi celebrada ontem (27/12), às 10h30min, na Catedral de Santo Antonio, Igreja Mãe de nossa diocese, a Santa Missa em Ação de Graças pela Reabertura do Seminário de Campo Maior Dom Abel Alonso Nuñez, contando com a presidência de Dom Francisco de Assis, bispo diocesano, e todo o Clero. Benfeitores, seminaristas, religiosos, autoridades civis e militares, e as comunidades das mais variadas paróquias da diocese também participaram desde momento festivo e histórico.

“Hoje é um dia importante para nós e para nossa diocese. Revitalizar o seminário é devolver a ele a sua vocação de formar os nossos padres e voltar ao princípio do presbitério. Dom Abel dizia que o seminário é o coração da diocese, e de fato ele é o princípio e a origem. Eu agradeço a todos os benfeitores, empresários, religiosos e religiosas que ajudaram”, disse Dom Francisco em sua homilia.

Ao final da celebração, o prefeito do município, Professor Ribinha falou de como a Igreja Católica vem conseguindo mobilizar a juventude e as famílias de Campo Maior e de toda a diocese. Em seguida, o presidente da Câmara de Campo Maior, o vereador Fernando Miranda, realizou a promulgação da lei que nomeia a rua onde fica o Seminário com o nome de “Rua Dom Abel Alonso Nuñez”. Na ocasião, Dom Francisco de Assis recebeu das mãos do representante do legislativo municipal o documento da sanção da lei.

Logo após, o chanceler da Cúria Diocesana, Padre Alcindo Saraiva, fez a leitura dos decretos de reabertura do Seminário de Campo Maior, que passa a ter o nome de “Dom Abel Alonso Nuñez”, e das nomeações do quadro administrativo e espiritual: Padre Jonilson Resende nomeado reitor, Padre Claudinei Pereira nomeado vice-reitor, Padre Gilberto Felipe nomeado diretor espiritual, e Monsenhor Paulo Mateus nomeado confessor.

Terminando a celebração, toda a Igreja participou de uma procissão até o Seminário de Campo Maior, para a bênção solene de reabertura do prédio. O momento, conduzido pelo bispo diocesano e pelos recém nomeados responsáveis pelo prédio, foi acompanhado por muitos fieis, sacerdotes, religiosos e autoridades. Foi ainda realizado o descerramento da placa de reabertura e todos os presentes foram convidados para conhecer as dependências do local e participar de um coquetel celebrativo.

O Seminário Diocesano começará a funcionar em fevereiro de 2020, com jovens vocacionados da Diocese Campo Maior e da Diocese de Grajaú, segundo Dom Francisco: “Em 2020, vamos começar com 5 seminaristas, 3 de nossa diocese e 2 da Diocese de Grajaú-MA, enviados pelo nosso irmão bispo Dom Rubival. Floriano virá conosco a partir de 2021, e assim nosso seminário não está fechado para apenas a nossa diocese, e nem só as nossas dioceses do Regional Nordeste 4 (Piauí) da CNBB, mas também está aberto aos dioceses que quiserem fazer parcerias conosco”, afirma.

Histórico do Seminário Menor

Pensando na necessidade do surgimento de novas vocações, Dom Abel Alonso Nuñez, 1° Bispo de Campo Maior, planejou e construiu o Seminário Diocesano de Campo Maior na década de 80. Antes dele, os seminaristas de Campo Maior eram enviados para estudar em seminários de outras dioceses do Nordeste, Sul e Centro-Oeste do Brasil, como: Jacarezinho (PR), Anápolis (GO) e Carolina (MA).

O Seminário Menor de Campo Maior começou a funcionar em fevereiro de 1986 com 21 seminaristas em regime de internato, sendo as aulas ministradas no antigo colégio Ginásio Santo Antônio, e as formações e orientações espirituais e morais ficavam a cargo de um reitor e um diretor espiritual.  Na época, a Diocese de Campo Maior tornou-se aquela que tinha o clero mais jovem do Brasil. Os frutos colhidos nos 10 primeiros anos foram estes: 16 novos padres e 5 diáconos.

Em 2002 o seminário de Campo Maior foi fechado e os seminaristas de nossa diocese passaram a realizar seus estudos nos seminários localizados na Arquidiocese de Teresina: Seminário Discipulado João Paulo II (propedêutico), Seminário Dom Edilberto Dinkelborg (Filosofia) e, Seminário Maior Sagrado Coração de Jesus (Teologia). O prédio ficou fechado, até chegar a ficar por alguns anos alugado para o Governo Federal, através do Projovem.

Reportagem: Helder Felipe (Setor de Comunicação – Diocese de Campo Maior)

Adicionar Comentário

Clique aqui para deixar um comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *